A codificação com tinta invisível no domínio da marcação industrial é muitas vezes usada para aplicações de rastreabilidade ou segurança que se quer manter ocultas aos olhos do consumidor final.
Principalmente utilizado na marcação de embalagens como latas de refresco ou garrafas de vinho. Neste caso, realiza-se uma dupla marcação do produto em duas fases.
Na primeira, o fabricante de embalagens (garrafas de vidro, latas de alumínio, etc) marcadas com tinta invisível, informação de rastreabilidade da embalagem com o número de lote. Isto permite que o cliente (o embalador) possa dispor desta informação em caso necessário.
É importante lembrar que esta tinta se torna visível à luz ultravioleta, por isso, é muito fácil realizar verificações de segurança durante o processo produtivo.

Uma vez o embalador enche o recipiente, realiza-se uma segunda marcação com informação com o número de lote no recipiente ou a data de validade. Os dados são de valor primordial para o consumidor final, que são realizados com tinta preta padrão.
Desta forma, oculta-se a informação de rastreabilidade interna unicamente útil para o fabricante, evitando que o consumidor final possa confundir ambas as informações.
O outro uso habitual da tinta invisível é na indústria da alta cosmética. É um setor onde as falsificações do produto são um dos problemas principais, as marcações invisíveis são uma importante ferramenta defensiva para os fabricantes.
A aplicação mais comum é a marcação na embalagem do produto com códigos de segurança. Isto permite às redes de distribuição (perfumarias, farmácias…) verificar a origem e a autenticidade das mercadorias. E aos grandes fabricantes de luxo poderem realizar uma rastreabilidade exaustiva no decorrer dos seus produtos.

Neste caso, e devido às características especiais do setor cosmético, a marcação realiza-se com tinta invisível, para guardar a estética do produto e não confundir a embalagem com informação sem interesse para o consumidor.
A terceira aplicação habitual com tinta invisível é no setor das artes gráficas. Principalmente utiliza-se para imprimir códigos de segurança em documentação oficial, bilhetes ou cupões promocionais. Neste caso, a tinta invisível usa-se como ferramenta anti falsificação e é uma medida de segurança adicional importante para a verificação dos documentos.
Como temos visto, a tinta invisível conta com uma afinidade de aplicações muito vantajosas devido às suas características especiais, realizando marcação de grande valor estratégico para os fabricantes.
No entanto, a sua natureza extraordinária também traz algumas desvantagens. As tintas inkjet invisíveis são formuladas em base de resinas, por isso, são muito viscosas e pegajosas, além disso, tendem à cristalização. Isto provoca que sejam tintas que reduzem drasticamente a confiabilidade dos equipamentos inkjet, já que podem provocar obstruções nos seus circuitos e boquilhas.
As aplicações com tinta invisível de Hitachi são as líderes do mercado em fiabilidade por dois motivos principais: uma formulação pioneira que consegue a tinta mais fluída do mercado e uma impressora que trabalha à velocidade mínima.

As impressoras inkjet Hitachi contam com uma tecnologia exclusiva que permite às suas bombas trabalhar a baixíssimas rotações (em Hitachi é de 90 RPM enquanto que o habitual nas restantes marcas é de 1600 RPM). Graças a isto, a tinta move-se menos dentro do circuito e está a uma menor temperatura, de modo que não se alteram as suas propriedades químicas minimizando de forma exponencial as obstruções do equipamento.

Graças a estas vantagens, Hitachi é a marca líder em aplicações de tinta invisível, contando com clientes de primeiro nível mundial, como Rexam, BaVidro ou Vidrala, que dispõem de mais de 72 equipamentos de tinta invisível, repartidos nas várias fábricas de produção europeias.

Consulte os principais codificadores Hitachi ou contacte-nos para discutir o seu caso e informar o sistema de marcação adequado à sua necessidade.