SERIALIZAÇÃO DO PRODUTO

A serialização é uma exigência legal obrigatória no setor farmacêutico, através da  Directiva Europea 2011/62/EU sobre Medicamentos Falsificados (FMD).

O seu objetivo é proteger o paciente contra a venda de medicamentos falsificados ou que não cumpram os regulamentos de saúde, obrigando as farmácias a verificar a identidade dos medicamentos antes de serem dispensados.

Mas além das vantagens óbvias para o paciente, a serialização de produtos traz grandes benefícios ao fabricante:

  • Permite um controle exato da produção
  • Otimiza o controle de qualidade.
  • Melhora a gestão de stock
  • Minimiza os custos em caso de retiradas de lotes.
  • Oferece uma proteção absoluta da marca.

Por isso, é cada vez mais implementado em outros setores industriais, onde a conformidade não é obrigatória, como a produção de alimentos para bebés ou produtos cosméticos.

O processo de serialização consiste na geração de um código Datamatrix com informações sobre a referência do produto, data de fabricação, validade e um número único para cada produto.

Este código deve ser impresso de forma legível na embalagem do produto, tanto em formato de código 2D como com legenda, utilizando um sistema de codificação que permita uma marcação permanente e fiável.

O próximo passo é a leitura do código impresso com um sistema de visão artificial, que gera um arquivo de banco de dados que inclui a correspondência entre o artigo fabricado e seu código único. Por último, este banco de dados é enviado para que a cadeia de distribuição possa verificá-lo antes da sua venda.

Impresión Datamatrix

 

Dentro do complexo processo de serialização, a codificação pode parecer um elo de menor importância, mas sem um código perfeitamente legível e permanente, o resto do processo não faz sentido.

É essencial garantir a correta localização do código, garantir a sua leitura e a correspondência com o banco de dados. Realmente, além das soluções de software, uma ótima qualidade de impressão de código é a chave do processo.

Para se conseguir isso, é importante escolher a codificadora mais adequada, dependendo do tipo de embalagem que quer imprimir. Para a impressão do Datamatrix GS1, a solução favorita é geralmente as impressoras térmicas a jato de tinta, um sistema simples e limpo, perfeito para caixas de cartão.

Para embalagens curvas, materiais de aderência complicada ou condições ambientais exigentes, a inkjet CIJ é uma aposta segura. E se o que procura é códigos permanentes da mais alta qualidade sem consumíveis, uma codificadora laser será a resposta.

O importante é estudar cada aplicação de forma personalizada, pois não existe um sistema de serialização industrial perfeito, se não o mais adequado às necessidades de cada cliente.

Na Trebol Group temos todas as tecnologias de serialização do mercado, entre em contato connosco para que possamos assessorá-lo de forma personalizada.

Você quer mais informações? Entre em contato conosco e nós o aconselharemos de maneira personalizada.

    [anr_nocaptcha g-recaptcha-response]